sexta-feira, 24 de junho de 2016

COMO PREGAR MENSAGENS BIBLICAS.



INTRODUÇÃO

Há alguns anos, o número de rapazes e moças que subiam ao púlpito para pregar era maior que o de hoje. Na sua simplicidade, falavam do amor de Deus, da Salvação e davam testemunho sob a unção do Espirito Santo. Hoje, parece que a figura do "preletor oficial" inibiu muitos de falarem com ousadia a Palavra de Deus. Parece que há um receio de falar diante de um público que, certamente, é mais intelectualizado que há alguns anos. Jovens pregadores ficam embaraçados e cometem certos deslizes, que poderiam ser evitados. Neste modesto trabalho, vamos dar apenas algumas sugestões, e não um estudo sobre a Homilética (Arte de Falar em Publico).

I -O QUE PREGAR?

É a comunicação verbal da Palavra de Deus aos ouvintes. É a transmissão do evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo às pessoas que precisam ouvi-lo.

II- QUAL A FINALIDADE DA PREGAÇÃO?

É persuadir as pessoas a aceitarem a mensagem da Palavra de Deus para sua salvação (descrentes) ou para seu crescimento espiritual (crentes). Diante disso, o pregador precisa saber para quem esta falando: Para crentes ou para descrentes?

III- QUE DEVE CONTER A PREGAÇÃO?

Três coisas são básicas:

1. OBJETIVIDADE.

Refere-se ao alvo a atingir. Se pregamos para descrentes, desejamos que eles entendam que precisam crer em Jesus para ser salvos. Devemos orar muito, antes de pregar, para que o Espirito Santo convença as pessoas do seu pecado. Se isso acontecer, a pregação alcança seu alvo. O centro da pregação deve ser Cristo e não o pregador, como acontece em certas cruzadas ou movimentos evangelísticos. Há pregadores que se perdem no púlpito. Começam a falar do amor de Deus, e passam a divagar sobre o Apocalipse, vão até Gênesis, aos profetas e, ao final, não sabem como sair do emaranhado de palavras. É preciso ter objetividade.

2. TRANSMISSÃO.

O pregador deve procurar transmitir a mensagem de Deus às pessoas. Paulo disse: "Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei..." O mensageiro deve receber a mensagem de Deus e transmiti-la aos homens. Não deve ficar inventando mensagens, terias, filosofias para mostrar conhecimentos.

3. CONVICÇÃO.

O pregador deve transmitir aquilo de que tem convicção, para que a mensagem seja aceita. Tem que viver aquilo que prega.

IV - A BASE DA PREGAÇÃO (ou do sermão)

1. A PALAVRA DE DEUS 

A base da pregação deve ser a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada. Podemos dizer, em outras palavras que a base da pregação deve ser o TEXTO BÍBLICO . Ilustrações podem ser aproveitadas, desde que Que se relacionem com o tema da mensagem , mas não podem tomar o lugar da Palavra de Deus. Ouvimos um pregador que, não tendo êxito em "abalar" os ouvintes, apelou para uma história fantasiosa e tomou 80% do tempo destinado à mensagem.

2. QUE TEXTO ESCOLHER?

O Pr. Elienai Cabral sugere (em resumo) 8 (oito) características para um bom tema a ser escolhido )p. 50-51).

1) De preferência textos que expressem um pensamento completo;

2) Textos claros. Devem-se evitar textos obscuros como Jd 6; Mt 27.52; 1 Pe 3.19-20 (exigem estudo mais profundo).

3) Textos objetivos: que atendam às necessidades espirituais das pessoas (Com oração e unção).

4) Textos sobre os quais não haja dificuldade para a interpretação (hermenêutica).

5) Textos dentro dos limites de capacidade do pregador.

6) Textos que expressem o tema da pregação para não fugir ao objetivo.

7) Texto que desperte interesse (Com oração, o Espírito mostra o que deve ser pregado).

8) Textos cuja seqüência seja de fácil acompanhamento pelo pregador e pelo auditório.

V - A ESTRUTURA DA PREGAÇÃO ( Do sermão)

Toda pregação com esboço ou não, deve ser dividida, basicamente, em duas partes:

1. INTRODUÇÃO.

É a parte inicial da mensagem, pela qual o pregador entra em contato com o auditório. Visa despertar o interesse pela pregação; "prepara a mente dos ouvintes , para que possam compreender o assunto do sermão e as idéias a serem desenvolvidas..." (Key, p. 31). Uma boa introdução deve ser BREVE, SIMPLES, INTERESSANTE E APROPRIADA. (Cabral, p. 66) Conhecemos um grande pregador que gasta 30 ou 40 minutos na introdução. Isso cansa, principalmente os descrentes. A introdução não deve ir além de 10 ou 15% do tempo da mensagem. (Normalmente, o pregador sabe de quanto tempo dispõe, exceto em casos especiais).

2. CORPO (ou desenvolvimento) DA MENSAGEM (Do sermão).

É a parte mais importante da mensagem. Ela deve conter a seqüência das idéias a serem apresentadas. No corpo do sermão ou da mensagem , podemos ter:

1) Ordem ou divisões (1º , 2º, 3º , etc.);

2) Transição de um pensamento para outro. As divisões devem ser de acordo com os objetivos mensagem; devem-se evitar " excesso de floreios", "rodeios", ou "conversa fiada". O povo percebe.

3.CONCLUSÃO. É o auge da pregação. O seu clímax. Nela, o pregador faz a aplicação do que pregou no corpo do sermão. Nesse momento, o pregador e o auditório, pelo poder do Espirito Santo, devem chegar à conclusão de que a mensagem atingiu seu objetivo. Sem uma boa conclusão, o que foi dito pode perder o brilho. Uma conclusão pode ser feita através de:

1) Recapitulação.
 O pregador deve rever o que pregou, em resumo ou tópicos, evidenciando pensamentos-chave , pontos fortes da mensagem (Cabral, p. 70).

2) Narração. O pregador pode valer-se de um fato, uma rápida ilustração para comover o auditório, levando o descrente a uma decisão, na unção do Espírito Santo.

3) Persuasão . É a parte mais difícil da conclusão. Depende muito mais do Espírito Santo do que do pregador. Por isso, toda mensagem deve ter a unção do Espírito Santo. Para tanto, o pregador precisa orar muito, e até jejuar, diante de Deus, para que a mensagem atinja seu alvo.

4) Convite. Toda pregação deve terminar com um convite ou apelo, seja para pecadores, seja para a igreja. Um convite na unção do Espírito tem maravilhoso efeito no coração das pessoas. De acordo com Braga (p. 211-212), a conclusão deve ser breve e simples, e com palavras adequadas. Um certo jovem pregou numa igreja. Ao fazer o apelo, não vendo ninguém atender, passou a contar que alguém ganhou um grande prêmio porque deu uma grande oferta para a Obra. Desviou totalmente o alvo da mensagem.

VI - TIPOS DE SERMÕES

1. SERMÃO TEMÁTICO (Ou Tópico).

É aquele "cujas divisões principais derivam do tema, independentemente do (Braga, p.17).

Exemplo: Tema: "Causas para a Oração não Respondida":

1) Pedir mal. (Tg 4.3);
2) Pecado não confessado (S1 66.18);
3) Duvidar da palavra de Deus (Tg 1.6-7);
4) Vãs repetições (Mt 6.7);
5) Desobediência à Palavra (Pv 18.9);
6)Mal relacionamento conjugal (1 Pe 3.7);

2. SERMÃO TEXTUAL 

É aquele em que as divisões principais do derivadas de um TEXTO constituído de UMA BREVE PORÇÃO DA BÍBLIA ( Braga, p. 30).

Exemplo: Titulo: "O Único Caminho Para Deus" (Jo 14.6).

1) Através de Jesus, o único caminho.
2) Através de Jesus, a verdade.
3)Através de Jesus, a vida.

3. SERMÃO EXPOSITIVO

É aquele em que as divisões baseiam-se numa porção mais extensa (texto) da Bíblia, não abrangendo "um só versículo, mas uma passagem, um capítulo, vários capítulos, ou mesmo um livro inteiro" (Cabral, p. 78). Nele , é mostrada (exposta) uma verdade contida num texto bíblico. Exige tempo, estudo e conhecimento bíblico.

Exemplo: Titulo: "O Cordeiro de Deus" (Ex 12. 1-13)

1)Foi um cordeiro divinamente determinado (vv. 12.1-3)
2) Foi um cordeiro perfeito (12.5);
3) Foi um cordeiro morto (12.6);
4) Foi um cordeiro redentor (12.7; 12-13);
5) Foi um cordeiro sustentador (12.8-11).

VII- QUALIDADES DO BOM PREGADOR

1. Personalidade

É o que caracteriza uma pessoa e a torna diferente de outra. "É tudo quanto o indivíduo é". Na pregação, o pregador demonstra que tem personalidade, quando se expressa, falando ou gesticulando, de acordo com aquilo que ele é e não imitando outras pessoas. De vez em quando, percebe-se pregadores , imitando evangelistas famosos, dando gritos, pulando e correndo no púlpito, torcendo o pescoço, ajeitando a gravata, falando rouco ou estridente. Isso é falta de personalidade. É querer ser ator, imitador e não um instrumento nas mãos do Espírito Santo.

2. Espiritualidade. Nessa característica, podemos observar os seguintes aspectos:

1) Piedade. 

É o sentimento de devoção e amor pelos outros e pelas coisas de Deus. O pregador deve sentir pelo Espírito as necessidades do auditório, principalmente dos pecadores. (1 Tm 4.8; Hb 12.28).

2) Devoção

É o sentimento religioso, de dedicação às práticas ensinadas na Palavra de Deus. Na devoção, o pregador busca inspirar-se na ORAÇÃO, na LEITURA DA BÍBLIA, e no LOUVAR A DEUS. Temos visto verdadeiros profissionais da pregação, técnicos, que sabem pregar, mas não sabem orar; sabem gritar, mas não sabem amar as almas. Pregam por interesse, por torpe ganância. Que os jovens pregadores (e os antigos) não entrem por esse caminho. Conta-se que Moody, o grande evangelista, orava uma hora para pregar cinco minutos. Enquanto isso, temos pregadores que oram cinco minutos para pregarem uma hora!

3) Sinceridade

Reflete a verdade contida na própria alma. O pregador deve pregar aquilo que vive e viver aquilo que prega (Tg 2.12). Um jovem, dirigente de Mocidade, pregava bem. O povo se alegrava. Mas, um dia, uma jovem descrente procurou a direção da igreja para dizer que estava grávida dele e, o pior, o jovem não assumiu a paternidade. Por fim, confessou o pecado, foi excluído, e contribuiu para uma alma descrer do evangelho.

4) Humildade

"Nenhum pregador pode subir ao púlpito sem antes ter descido, pela oração, os degraus da humildade. Na oração, o egoísmo se quebranta. O medo se desfaz, e a certeza da vitória aparece clara como a luz do sol ao meio-dia" (Cabral, p. 43). (Ler Pv 15.33). Um jovem vivia criticando quem ia pregar, dizendo que, se fosse ele, pregaria muito melhor. Um dia, o pastor deu oportunidade ao moço para pregar. Ele subiu ao púlpito, orgulhoso, sorridente. Tentou achar um texto na Bíblia, de um lado para outro, e nada. Suou, pediu desculpa, e desceu cabisbaixo. Sentou noutro lugar, junto a um irmão experiente, que, percebendo sua tristeza, disse: "Moço, se você tivesse subido como desceu (humilde), teria descido como subiu (alegre)". E uma grande lição para todo pregador.

5) Poder

O pregador (jovem ou não) precisa do Poder de Deus. S. Paulo disse que não pregava sabedoria humana, mas com poder (1 Co 1.4-5). É preciso ter unção e graça para pregar. Do contrário, ocupa-se o púlpito e o tempo para dizer coisas inoportunas. E melhor um sermão fora da Homilética, mas na unção de Deus, do que dentro da técnica, e sem poder. Isso só se consegue com oração, jejum, leitura bíblica, e vida consagrada. Não se obtém num curso de Homilética.

BIBLIOGRAFIA

BRAGA, James. como preparar mensagens bíblicas. S. Paulo, Ed Vida, 1993.
CABRAL, Elienai. O pregador eficaz. Rio, CPAD, 1983.
KEY, Jerry Stanley. José da SiIva, um pregador leigo. Rio, JUERP, 1978. (Natal, 7 de abril de 1995)
Pr. Elinaldo Renovato de Lima

sábado, 28 de maio de 2016

# A ILHA DE PATMOS

Um equívoco comum e popular em comentários sobre a Ilha de Patmos onde o profeta João, esteve exilado, é que esta ilha seria deserta e abandonada. Isto deve-se especialmente a viajantes do século 19, que a descreveram como "uma estéril, rochosa, desolação, olhando lugar" (Newton 1865: 223) ou como "uma ilha selvagem e estéril" (Geil 1896: 70). Infelizmente, estas percepções do século 19 não são precisas na descrição da ilha nos tempos de João.

Esta pequena ilha (Ap 1:9), vulcânica fica no mar Egeu, 60 km da cidade turca de Mileto. Aqui o apóstolo João foi exilado e recebeu as visões registadas no Livro do Apocalipse (às vezes chamado O Apocalipse de São João). Este ponto de vista da ilha é da vila de Chora ao nordeste. No centro está o porto antigo e moderno, onde a cidade moderna de Skela está localizada. A acrópole antiga, conhecida como Kastelli, é para a esquerda.

O porto de Skela com a antiga acrópole (Kastelli) de Patmos para a direita. Situada na rota marítima entre Roma e Éfeso, o porto de Patmos era uma parada regular e importante ao longo da linha de comunicação e comércio entre estas duas cidades. Tradição da Igreja sugere que João estava exilado aqui da cidade de Éfeso, onde ele tinha vindo a servir como ancião.
Cinco cursos de pedra da antiga muralha em torno da acrópole de Patmos. A partir desse centro administrativo, os funcionários romanos tinham uma vista sobre o porto e as rotas marítimas.
Restos de porta a nordeste da acrópole. João provavelmente não viveu nesta área, que foi reservada para as autoridades militares e governamentais. Aparentemente livre para se mover sobre a ilha, João provavelmente residia numa das aldeias mais remotas. Gordon Franz
Kalikatsou Rock é o provável local de um templo de Afrodite. Nota ilhas vizinhas do Mar Egeu na distância. João faz referência a estas ilhas (Ap 6:14, 16:20). Embora chamado "a ilha mais sagrada" de Ártemis (Diana dos Efésios, Actos 19:28), a ilha abrigou três templos para Artemis, seu irmão Apollo, e Afrodite. Afrodite era a deusa do amor e da beleza.
O Mosteiro de São João acima da moderna cidade de Chora. Uma caverna abaixo do mosteiro é o local tradicional das visões de João.
O Psili praia Ammos, único na ilha por sua areia fina, sem pedras. é muito provável que João esteve quando ele viu a visão do Apocalipse 13: "Eu estava na areia do mar" (Ap 13:1, KJV).
Vera, sacerdotisa de Artemis de Patmos, é o tema desta pedra esculpida inscrição encontrada na ilha de Patmos. Datada do século 2 ou 3, que fornece informações valiosas sobre o culto de Ártemis (Diana) na ilha de Patmos. A oferta de sacrifícios à sacerdotisa sugere um templo na ilha, e que Vera é a sacerdotisa décima, sugere uma longa história de culto.

domingo, 24 de abril de 2016

SER CRISTÃO NÃO É SER MASOQUISTA


Romanos 5.1-11.

1 — Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo;

2 — pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

3 — E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência;

4 — e a paciência, a experiência; e a experiência, a esperança.

5 — E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

6 — Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.

7 — Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.

8 — Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

9 — Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

10 — Porque, se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

11 — E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.







O SOFRIMENTO
1. Gloriar-se nas tribulações (v.3a).
O quadro glorioso registrado nos versículos 1 e 2 não significa uma vida totalmente isenta de tribulações. Jesus disse: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Mc 8.34)

Essas tribulações não são apenas dores, enfermidades, depressões, tristezas nem aflições; são também as pressões deste mundo hostil que crucificou o nosso Senhor Jesus Cristo (At 14.22). Jesus disse que no mundo teríamos aflição, mas que ficássemos seguros, pois Ele venceu o mundo (Jo 16.33).

2. Ser cristão não significa ser masoquista. Paulo não afirma nem dá a entender que ser cristão seja sentir prazer no sofrimento. Veja o que ele diz: “mas também nos gloriamos”. A Palavra é realista, mostrando que encontramos espinhos na jornada da vida cristã, e que, mesmo assim, o crente é feliz e glorifica a Deus. Isso em virtude da glória que em nós será revelada (Rm 8.18), e que traz resultados positivos para a vida cristã, pois tudo concorre para o bem dos que amam a Deus (Rm 8.28). Temos júbilos nas bênçãos e também nas tribulações.

3. “A tribulação produz a paciência” (v.3b). Aqui “paciência”, no grego, é hypomene, que vem de duas palavras gregashypo, “sob” e o verbo meno, “permanecer”.

O referido vocábulo significa: “paciência, perseverança, firmeza, fortaleza”. É a virtude de alguém sofrer com resignação. Se não existisse sofrimento não existiria paciência. Estejamos certos de que o bem proveniente da paciência é maior que os males das tribulações.

4. A paciência produz a experiência (v.4a). A paciência nas perseguições torna o cristão aprovado e vitorioso (2Ts 1.4,5). Isso serve para o nosso amadurecimento e para uma maior aproximação com Deus.

5. A experiência produz a esperança (vv.4b,5). O caráter cristão é produzido em meio aos sofrimentos. É nessas circunstâncias que o Espírito Santo mais trabalha a nossa vida, gerando em nós a confiança de que Deus nos levará à glória do porvir. A esperança está entre as principais virtudes da fé cristã, ao lado do amor e da fé (1Co 13.13).

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O PASTOR CORRE RISCOS NA IGREJA...


Muitos lideres, correm o risco de perder o pastorado na sua igreja, 14% dos pastores lutam contra a pornografia, indica estudo




O assunto é polêmico. Ano passado, quanto um site considerado “pornográfico” teve a segurança comprometida e foram revelados nomes de milhares de usuários. Centenas pastores estavam inscritos. A revelação custou o ministério de alguns e, em pelo menos um caso, a vida.

Uma nova pesquisa do Grupo Barna, feita nos Estados Unidos indica que 14% dos pastores mais velhos e 21% dos jovens pastores lutam contra a pornografia. O material, com o título de “The Porn Phenomenon” foi encomendado pelo Josh McDowell Ministries e pela organização Covenant Eyes, criadora de um software para “filtrar” conteúdo impróprio na internet.

Foram entrevistadas 2700 pessoas, divididas em grupos específicos que incluía diferentes faixas etárias, sendo dado atenção especial aos que são pastores ou líderes na igreja. O número de adolescentes e jovens adultos que procuram ativamente a pornografia pelo menos uma vez por mês chamam atenção: 43% dos adolescentes, 57% dos jovens de 18 a 24 anos e 45% dos entrevistados com idade entre 25 e 30.

Não são apenas os homens que admitem acessar pornografia. Cinquenta e seis por cento das mulheres com idade entre 13 e 24 anos procuram por pornografia ao menos uma vez por mês. Em contraste, são 28% das mulheres a partir de 25 anos.

Uma das conclusões do estudo é que a exposição à pornografia – tanto a acidental, quanto a intencional – aumentou. Os líderes religiosos que participaram do estudo admitiram que, assim como a maioria dos usuários da internet, já receberam e-mails não solicitados com conteúdo adulto ou viram alguma imagem dessas em janelas “pop up” que abriram sem o seu consentimento.

Pastores de jovens afirmaram que já visualizaram conteúdo sexual indesejado nas redes sociais como o Twitter ou Instagram.

A pesquisa do Instituto Barna indica que mais da metade dos pastores (57%) e 64% dos pastores de jovens que participaram do estudo disseram que já tinham lutado com a pornografia no passado ou ainda estão lutando com ela. Mais da metade (55%) deles admitiu que vive constantemente com medo de ser descoberto.

Do outro lado da questão, 41% dos cristãos adultos entendem que pastores que veem pornografia devem ser demitidos ou devem pedir demissão. Já 29% dos cristãos adultos acreditam que os pastores que assistem pornografia devem tirar uma licença e lidar diretamente com o problema.

Outros 16% afirmam que os pastores que tem o hábito de ver pornografia devem obter ajuda profissional. Apenas 5 por cento dos entrevistados dizem que nada deveria ser feito contra os pastores que veem pornografia.

O ministério Josh McDowell tratará amplamente do assunto e revelará os resultados completos deste estudo durante uma Conferência Mundial sobre o tema em abril. Foram enviados convites para 70.000 pastores dos EUA.

O pastor McDowell manifestou-se sobre o assunto. “Eu vou dizer que não há uma igreja, um líder cristão, um pastor, inclusive eu, que tenha uma resposta para isso. Nenhuma mensagem tradicional que ofereça uma solução irá funcionar.” Ele defende que “obreiros da igreja que mostrarem arrependimento devem receber apoio e acompanhamento de suas igrejas, e não serem simplesmente demitidos”

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O GRITO DO SILENCIO INCOMODA....

Jesus diante de Pilatos



Marcos 15

Mateus 27.1-2,11-14Lucas 23.1-5João 18.28-38a

Assim que amanheceu, os chefes dos sacerdotes se reuniram com os líderes dos judeus, e com os mestres da Lei, e com todo o Conselho Superior e fizeram os seus planos. Eles amarraram Jesus, e o levaram, e entregaram a Pilatos.
Pilatos perguntou:
— Você é o rei dos judeus?
— Quem está dizendo isso é o senhor! — respondeu Jesus.
E os chefes dos sacerdotes faziam muitas acusações contra ele.
Então Pilatos fez outra pergunta:
— Você não vai responder? Veja quantas acusações estão fazendo contra você!

Porém Jesus não disse mais nada, e Pilatos ficou muito admirado com isso.
Se Jesus não oferecesse nenhuma defesa diante de Pilatos; Pilatos teria que pronunciar sentença contra ele, de acordo com a lei romana.... (Marcos:15: 4, 5) Mas Jesus sabia o que estava fazendo e que tudo que estava acontecendo não era por acaso....Prezado leitor, Aprenda essa verdade: Quando se tem um objetivo sabendo que os acontecimentos futuros depende de nossa atitude presente, precisamos ter auto controle e administrar a situação, pois um vacilo, uma palavra errada pode mudar tudo....

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

DINOSSAUROS E BICHOS ESTRANHOS NA BÍBLIA...

Dinossauros e Outros Bichos Estranhos na Bíblia

                        .
“Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou,não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro” (Is 45.18) ACF 
Muitos são os questionamentos quando tratamos desse assunto à luz da Palavra de Deus, porque devido às falsas teorias muitas pessoas têm se sentido inseguras e receosas em associar o estudo dos dinossauros com a Bíblia, porém o fato de realizar-se tal estudo não implica de forma alguma em colocar a teoria evolucionista em acordo com a Bíblia.
Devemos ter em mente que os dinossauros, são ou foram animais que, em geral, diferem das outras espécies principalmente pela sua estatura elevada, lembrando ainda que existem alguns dinossauros pequenos, do tamanho aproximado de um coelho.
Devemos olhar para a Palavra de Deus com o coração quebrantado e então veremos o Deus Criador de todas as coisas revelar-se com poder e majestade. Começaremos, então, a ver a eterna soberania que possui o Deus que servimos.
Na biologia os dinossauros são classificados com répteis, sendo assim Gn 1.24 – 25 declara:
“E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom” (Gn 1.24-25)ACF
 “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, esobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra” (Gn1.26)ACF

Contudo, muitas pessoas têm afirmado que a Bíblia não fala sobre dinossauros, pois tal palavra não encontra-se nas Sagradas Escrituras. Essa questão é respondida quando estudamos a origem do termo dinossauro que só veio a ser inventado em 1841,pelo médico inglês Gideon Mantell, que encontrou ossos e dentes de um grande animal, que ele achou semelhante aos de umaiguana, denominando-o de Iguanodon (“dente de Iguana”). Posteriormente, dois enormes fósseis foram encontrados naInglaterra, o de um Megalosaurus e o de um Hylaeosaurus. Apenas em 1841 receberam um nome para seu grupo.

Atualmente são catalogados cerca de 2000 espécies diferentes, divididas em 650 gêneros, e são descobertos em média 12 novas espécies por ano. Apesar do termo “dinossauro” só ser inventado em 1841, esse animal sempre existiu independente do nome que viesse a receber: monstro, dragão, criatura, dinossauro etc.
A versão inglesa da Bíblia – Rei James (Tiago) – KJV (King James Version) escrita em 1611
 já falava a respeito dos grandes animais, que posteriormente viemos a chamar de dinossauros. Partindo da certeza que os dinossauros fazem parte da criação de Deus, devemos deduzir que a Palavra de Deus – Bíblia – também deve relatar algo a respeito.
Os principais textos bíblicos que citam tais animais são:
-  40 – 41- Sl 74.13 – 17; 104.26- Is 27.1-  40. 15–24
Devemos observar que Deus, ao falar com Jó, estava demonstrando seu infinito poder e majestade e para isso utilizou um exemplo que era bem familiar a Jó, para que ele pudesse ter um ponto de referência para compreender o que Deus estava falando.
(Jó 40.15 – hipopótamo). A palavra aqui utilizada, no original (hebraico), é Behemoth e não hipopótamo.Ao observarmos as características físicas desse animal concluiremos que se trata de outro ser que não o hipopótamo.
(Jó 40.16 – 17). A descrição bíblica indica que o animal possuía uma cauda grande e potente, pois é comparada com o cedro – árvore alta forte e resistente. Se um hipopótamo, ou mesmo um elefante, possuísse uma cauda como é descrito nov.17 seriam bem diferentes do que conhecemos hoje. cf. (Jó 40.20, 23)
A declaração é que tal animal se alimentava em lugares altos, diferente do hipopótamo e do elefante.

Juntamente com o v.23 concluímos que se trata de um animal muito grande e pesado, pois não se alarma com enchentes, mesmo de um rio como o Jordão, com um considerável volume de águas. Ao observarmos a descrição de tal animal, feita por Deus, 
que eu fiz contigo, destacamos ainda a afirmação feita pelo Senhor que assim como Ele criou a Jó(homem) também criou tal animal   40.15: que eu fiz contigo” e  40.19: Ele é obra-prima dos caminhos de Deus”.                                                               
Algumas versões traduzem tal animal como hipopótamo, porém o hipopótamo não é encontrado na região geográfica que descreve esse acontecimento bíblico. Segundo alguns pesquisadores esse animal é identificado, hoje, com o Braquiossauro, porém não temos certeza se é realmente tal animal ou outra espécie.
-  41
Estaremos observando os principais versículos contidos nesse capítulo, onde iremos observar que o animal aqui descrito não se trata de um crocodilo ou jacaré. v.1 - A palavra utilizada no original (hebraico) não é crocodilo, mas sim Leviathan.
Faz-se menção acerca de travar a língua do crocodilo com uma corda, porém o crocodilo, assim como o jacaré, não possui uma língua solta, mas presa à parte inferior de sua boca.
 Deus continua sua explanação com  descrevendo de forma detalhada as características físicas de tal animal. cf. (Jó 41.18,19,20,21,31,32) - Nesses versículos encontramos a afirmação de que o Leviathan, aos olhos humanos, cuspia fogo. Seria isso possível? O fato é que essa informação tem feito com que muitas pessoas passassem a afirmar que o texto utiliza uma linguagem figurada, pois não existe animal que “cuspa fogo”.Muitas pessoas, como já falamos, por falta de informação fazem afirmações que terminam por comprometer a veracidade e infalibilidade da Bíblia. Alguns contestam o fato alegando ser impossível um animal realizar tal ação, contudo esquece-se que outros animais produzem energia como o peixe elétrico e outros luz como algumas espécies de animais marinhos e o ‘vaga-lume’.
Em casos como esses, alguns cientistas se colocam como omissos, conhecendo a verdade, todavia escondendo-a da população, pois tais informações irão desmoronar suas teorias e comprovar os relatos bíblicos. Sabemos da existência de um besouro conhecido por alguns como besouro bombardeiro ou escaravelho – bombardier beetle.Esse animal possui em seu interior um sistema de ‘bolsas’ que é capaz de armazenar substâncias inflamáveis como ahidroquinona e peróxido de hidrogênio que ao entrar em contato com o ambiente inflama. Esse besouro utiliza esse recurso para defesa e ao observarmos temos a impressão que o animal está expelindo fogo de seu corpo. Esse recurso é bem eficiente na defesa do besouro, já que o produto inflamável está a uma temperatura de 212°F (100°C) e é protegido pelo uso de um inibidor natural, não prejudicando o seu portador. Essa informação não seria tão interessante se não fosse pelo fato de três animais pré-históricos (dinossauros) terem sido encontrados com características semelhantes às do bombardier beetle.Tais animais são o Kronossauro e o Hadrossauro e o Plesiossauro. Ao estudar-se a estrutura craniana do Hadrossauro,constatou-se que o seu crânio possuía órgãos, bexigas e câmaras bem semelhantes às do besouro, permitindo que oHadrossauro (Hadrossaur parasaurolophus) não só criasse, mas armazenasse e lançasse produtos químicos inflamáveis para proteger-se, ou atacar, sem queimar-se ou machucar-se. Esse animal pode perfeitamente ser o dragão citado nas histórias de várias civilizações, e que ao longo dos anos passaram a exagerar nos relatos, ingressando-o na categoria de contos mitológicos. O que sabemos de real é que tal animal existiu, foi relatado na Bíblia e também fez parte da Criação de Deus. Se um animal pequeno pode produzir produtos químicos inflamáveis a uma temperatura de 100°C e não queimar-se, nada impede que um animal de grande porte com características imensamente semelhantes também o fizesse. v.22 
“No seu pescoço reside a força; diante dele até a tristeza salta de prazer”(Jó 41.22)ACF

É destacado que a força desse animal reside no pescoço, porém a força de um crocodilo reside na cauda e na mandíbula, não no pescoço. Mais uma vez percebemos que tal animal não é um crocodilo ou jacaré.v.26-29 “Se alguém lhe tocar com a espada, essa não poderá penetrar, nem lança, dardo ou flecha. Ele considera o ferro como palha, e o cobre como pau podre. A seta o não fará fugir; as pedras das fundas se lhe tornam em restolho. As pedras atiradas são para ele como arestas, e ri-se do brandir da lança” (Jó 41.26-29)ACF
As características físicas do animal demonstram que ele possui uma resistência física bem superior a qualquer crocodilo, mesmo os pré-históricos já encontrados. v.30
“Debaixo de si tem conchas pontiagudas; estende-se sobre coisas pontiagudas como na lama” (Jó 41.30)ACF
Sabemos que o ventre dos crocodilos são lisos e não possuem escamas pontiagudas como observamos no relato bíblico.

O Leviathan possuía escamas pontiagudas no ventre. v.33,34                                  
“Na terra não há coisa que se lhe possa comparar, pois foi feito para estar sem pavor. Ele vê tudo que é alto; é rei sobre todos os filhos da soberba” (Jó 41.33-34)ACF
Ao observarmos a descrição do tamanho do animal percebemos que o mesmo é de grande porte, pois “olha com desprezo tudo o que é alto”. Ao contrário dos crocodilos que, dependendo da espécie, podem chegar a 5 metros ou mais de ‘comprimento’ e não de altura, tais animais eram muito altos.Em geral, os crocodilos são baixos e não altos como descreve o texto bíblico.. Sl 74.13-17 – “Tu dividiste o mar pela tua força; quebrantaste as cabeças das baleias nas águas. Fizeste em pedaços as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto. Fendeste a fonte e o ribeiro; secaste os rios impetuosos. Teu é o dia e tua é a noite; preparaste a luz e o sol. Estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno tu os formaste” (Sl 74.13-17)ACF
. O animal aqui citado trata-se do Leviathan, que possui as mesmas características do animal em 40.. Sl 104.26 – “Ali andam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar” (Sl 104.26)ACF
Ao observarmos o contexto do capítulo 104 iremos observar que o salmista referia-se a coisas reais, como animais grandes e pequenos e o monstro marinho – Leviathan.              
Robson Tavares Fernandes          .....imagens- Antonio Carlos Pimenta -via Google....

 Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus). 

(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

VERSÍCULOS CHAVE DA BÍBLIA PARA VOCE..


Bíblia on-line

Versículos-chave
Gênesis 22:18 Todas as nações da terra serão abençoados 
Deuteronômio 6: 4 "Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus, é o único SENHOR. 
Josué 1: 8 Este livro da lei não se aparte da tua boca; 
Salmo 18: 2 O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza eo meu libertador; 
Salmo 27: 1 O Senhor é a minha luz ea minha salvação - a quem temerei? 
Salmo 34: 8 Provai, e vede que o Senhor é bom. 
Salmo 34:18 O Senhor está perto dos contritos de coração 
Salmo 37: 4 E ele lhe dará os desejos do seu coração. 
Salmos 46: 1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, ajuda sempre presente 
Salmo 46:10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus 
Salmo 51:10 Cria em mim um coração puro, ó Deus. 
Salmo 89: 1 Cantarei as misericórdias do Senhor para sempre; 
Salmos 119: 9? Como pode um homem jovem permanecer puro Obedecendo a sua . palavra 
Salmo 119: 11 A tua palavra eu escondi no meu coração, para eu não pecar 
Salmo 119: 105 A tua palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho. 
Salmo 147: 3 sara os quebrantados de coração, e liga-lhes as feridas. 
Provérbios 1: 7 O temor do Senhor é o princípio do conhecimento 
Provérbios 3: 5 Confia no Senhor de todo o teu coração; não se apóie em seu próprio 
Provérbios 3: 6 em todos os teus caminhos reconhecê-lo; ele vai fazer seus caminhos 
Provérbios 30: 5 "Toda a Palavra de Deus é pura 
Eclesiastes 3: 1 Para tudo há uma estação, um momento a cada finalidade 
Isaías 9: 6 Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado . 
Isaías 53: 4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas dores e as nossas dores; 
Isaías 53: 5 e pelas suas pisaduras fomos sarados 
Isaías 53: 6 Todos nós como ovelhas, nos desviamos 
Isaías 54:17 Nenhuma arma forjada contra ti não prosperará 
Isaiah 55: 8 Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos 
Jeremias 29:11 Pois eu bem sei os planos que tenho para você 
Jeremias 32:27.? Eu sou o Deus de toda Há alguma coisa difícil para mim 
Nahum 1 : 7 O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia; 
Mateus 4:19 "Siga-me, e eu vos farei pescadores de homens." 
Mateus 5:16 Da mesma forma, resplandeça a vossa luz diante dos homens 
Mateus 6: 9 Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome 
Mateus 6:19 "Não acumulem para vocês tesouros na terra, 
Mateus 6:33" Mas buscai primeiro o seu reino ea sua justiça, 
Mateus 7: 7 Pedi, e será dado a você; você vai procurar e encontrar 
Mateus 21:22. Se você acredita, você vai receber tudo o que pedirdes na oração 
Mateus 22:37 Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma 
Mateus 25:40 O que quer que você fez para um dos menos um destes meus irmãos 
Mateus 28:19 Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações, 
Lucas 6:38 Dai, e será dado a você. Uma boa medida, 
João 1: 1 No princípio era o Verbo, eo Verbo estava com Deus, 
João 3:16 "Porque Deus amou o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para 
João 8:32 Então você vai saber o a verdade, ea verdade vos libertará 
João 11:25 Eu sou a ressurreição ea vida 
João 13:35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: 
João 14: 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, 
João 14: 6 Eu sou o caminho, ea verdade ea vida. 
João 15:13 Não há maior amor do que dar alguém a própria vida 
Atos 1: 8 Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós 
Atos 04:12 A salvação é encontrada em nenhum outro 
Atos 17:11 Os bereanos eram mais nobres que os de Tessalônica 
Romanos 1:16 Porque não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus 
Romanos 3:23 Porque todos pecaram, e ficam aquém da glória de Deus; 
Romanos 5: 8, sendo nós ainda pecadores, Cristo morreu por nós. 
Romanos 6:23 Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna 
Romanos 8:28 Em todas as coisas Deus trabalha para o bem daqueles que o amam 
Romanos 8:37 Nós somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou 
Romanos 10: 9 Se você confessar com a sua boca, "Jesus é o Senhor", e acreditam 
Romanos 10:17 A fé vem de ouvir a mensagem, ea mensagem de 
Romanos 12: 2 Não se amoldem ao padrão deste mundo, 
1 Coríntios 3:16 Vós sois o templo de Deus eo Espírito de Deus habita em vós 
1 Coríntios 6:19 o seu corpo é um templo de o Espírito Santo, que habita em vós 
1 Coríntios 10:13 Não veio sobre vós tentação, exceto o que é comum ao homem 
1 Coríntios 10:31 Faça tudo para a glória de Deus 
1 Coríntios 13:13 Mas o maior destes é o amor 
2 Corinthians 04:18 Fixamos nossos olhos não no que é visto, mas naquilo que é invisível 
2 Coríntios 5:17 se alguém está em Cristo, é nova criatura 
2 Coríntios 5:21 Deus fez aquele que não tinha pecado, o pecado para nós 
2 Coríntios 12: 9 A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa 
Gálatas 5:22 Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, 
Efésios 2: 8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé ; 
Efésios 3:20 Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo 
Efésios 6:12 A nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os principados 
Filipenses 3:13 esquecendo o que está por trás e avanço para o que está à frente, 
Filipenses 4: 4 Regozijai-vos sempre no Senhor. Eu vou dizer outra vez: Alegrai-vos! 
Filipenses 4: 6 Não andeis ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, 
Filipenses 4: 7 E a paz de Deus, que excede todo o entendimento 
Filipenses 4:13 Posso todas as coisas naquele que me fortalece . 
2 Timóteo 3:16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e é útil para 
Hebreus 4:12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, 
Hebreus 11: 1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, 
Hebreus 12: 2 Looking para Jesus, autor e consumador da nossa fé; 
Hebreus 13: 8 Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. 
Tiago 1:22 Mas ser você cumpridores da palavra e não somente ouvintes, 
Tiago 5:16 Portanto, confessem o seu pecados uns aos outros e orar 
1 Pedro 5: 7. Elenco toda a sua ansiedade nele porque ele cuida de você 
2 Pedro 3: 9 O Senhor não retarda a sua promessa 
de 1 João 1: 9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo 
1 João 3:18 Não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade 
1 João 4: 7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, 
Apocalipse 1: 8 Eu sou o Alfa eo Omega , o início eo fim, 
Apocalipse 3:20 Eis-me aqui! Eu estou à porta e bato.


domingo, 20 de setembro de 2015

MANTENDO A IGREJA PURA


Um dos maiores desafios que os irmãos enfrentam hoje é de manter a igreja pura. Por mais que tentamos, parece que algo sempre passa, e fica bem abaixo dos nossos narizes por períodos de tempo, até alguém notar. Eu me lembro de um homem do sul dos Estados Unidos que disse, “Copperheads (uma cobra venenosa comum na América do Norte) são o tipo de cobra que podem entrar escondido na sua casa e ficar lá por um bom tempo antes de serem notados.” Que pensamento assustador! É assim com o pecado.

Todos os cristãos pecam de vez em quando. A Bíblia diz isso (1 João 1:8). Mas precisamos ficar de olho por aqueles que são facciosos e escondem seus pecados, mas ainda querem fazer parte da igreja local (Atos 20:28-31). É incrível saber que alguns praticarão o pecado, o esconderão e ainda buscarão refúgio em uma igreja local (Atos 5:1-11; 2 Coríntios 11:26). Como diz o velho ditado, “Quem saberá que mal habita nos corações dos homens?”
Sim, até o dia em que o Senhor voltar, haverá sujeira entre o povo de Deus, mas não vamos nos desanimar. Vamos, em vez disso, continuar tentando expor o errado. Aqui tem algumas coisas que podemos fazer.

Se você sabe que algo está errado, lide com isso! Ter medo, ignorar, ou esperar que algo suma sozinho não é a resposta para lidar com o pecado entre cristãos. Lembre-se de que Deus disse a Josué após o pecado que Acã. Ele disse que tinha que ser resolvido ou Israel continuaria a cair perante seus inimigos (Josué 7:7-13). Se não for resolvido, ainda está lá (João 9:41; Romanos 6:12-13; Efésios 4:27).

Não fique ansioso pelo crescimento numérico da igreja. É melhor ter uma igreja com apenas seis pessoas, do que uma igreja de setecentas e trinta pessoas, com maioria delas praticando o pecado (Mateus 18:20; Deuteronômio 7:7; 1 Samuel 14:6; Juízes 7:7; 1 Pedro 3:20; Gênesis 18:32). Quando o interesse em números é maior do que o interesse na verdade, os irmãos deixarão passar coisas, ou as esconderão debaixo do tapete, para que a lista de chamada não diminua por ter que se livrar dos pecadores (1 Coríntios 5:7; Provérbios 22:10). Não vamos esquecer que quando a verdade é ensinada e executada, não teremos as massas a nossa volta, porque apenas alguns serão salvos (Mateus 7:13-14).

Conheça todos! Quando os irmãos não investem tempo uns com os outros, nunca se conhecerão bem. Em Atos 2:42-46, podemos ver que a igreja passou bastante tempo junto, e que ao fazer isso tiveram a oportunidade de se conhecerem melhor. Conhecendo os gostos e desgostos uns dos outros, podemos saber se um cristão está entrando no pecado, ou vivendo com um pecado (Hebreus 3:12-13).

Ensine o conselho integral de Deus. A palavra de Deus é viva e eficaz, perfurando até os pensamentos e os propósitos do coração (Hebreus 4:12; Atos 2:37; Atos 24:24-25). Com uma arma tão poderosa em nossas mãos, precisamos usá-la, porque é a única coisa que pode jogar luz no homem e alertar-lo e o direcionar a correção (1 Coríntios 1:17-21). Paulo reconheceu isso porque ele disse que não havia falhado em proclamar todo o desígnio de Deus (Atos 20:27). Quando os irmãos falham em ensinar tudo que o Senhor disse, ficam lacunas, nas quais o pecado reinará e crescerá. Não vamos evitar mexer nos assuntos importantes que a Bíblia ensina; vamos ensinar o evangelho sobre todos os assuntos para que os homens cumpram ou faça um favor à igreja e a deixem (1 João 2:19; João 6:64-66; 1 Timóteo 4:1-5; Mateus 19:16-24).
–por James Baker.....Edição Antonio Carlos Pimenta

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

CONSELHOS BÍBLICOS SOBRE ALIMENTAÇÃO...

                   




Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos.
Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais.Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou.Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está de pé ou cai. E ficará de pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar.Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente.Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus.
Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si.
Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor. Romanos 14:1-8